Stélio Maroja - 22 e 23/09/2011

 

“O TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS COMO ATO DE SALVAR VIDAS:

AVISE SUA FAMÍLIA! ”

Stélio Maroja

22/09/2011 e 23/09/2011

  MAIS UMA BRILHANTE INICIATIVA DOS PETIANOS!!!  

 VAMOS DIFUNDIR ESSA IDÉIA !!!  

 

PÚBLICO ALVO: Pacientes da Unidade de Saúde Dr. Carlos Guimarães.

OBJETIVOS:

ü Por meio de conversa informal e aplicação de um questionário, saber qual a visão das pessoas sobre a doação de órgãos e tecidos.

ü Conscientizar os clientes do posto quanto a importância do ato de doar órgãos e tecidos;

ü Desmistificar a visão preconceituosa sobre o ato de doar órgãos;

ü Explicar os procedimentos necessários para tornar-se um doador.

ORGANIZAÇÃO DA ATIVIDADE

A atividade foi desenvolvida pela Equipe Pet-Saúde/Ananindeua Stélio Maroja e consistiu em dois dias de campanha onde os acadêmicos conversaram com os clientes da Unidade Dr. Carlos Guimarães a respeito da opinião sobre o ato de doar órgãos e tecidos, principalmente se elas têm a intenção e já avisaram a família. Para tal atividade foi aplicado um questionário aos clientes, utilizamos cartazes para

explicar sobre o assunto e esclarecer dúvidas, e distribuímos panfletos, tudo no sentido de incentivar essa prática tão importante e capaz de salvar vidas.

 

RESULTADOS DA ENQUETE

Através do questionário aplicado pudemos obter diversos opiniões a respeito do tema. Foram entrevistados 51 pessoas.

 

Várias perguntas foram realizadas pelos petianos aos usuários do posto, como:

    Você doaria órgãos do seu corpo para serem transplantados após sua morte?

        A maioria dos usuários entrevistadas responderam que doariam

    Você já conversou sobre sua família de sua vontade de doar seus órgãos?

        Uma pequena parte dos usuários entrevistados relatou ter tido algum tipo de conversa com seus familiares sobre a doação de seus órgãos.

Estas perguntas fazem refletir sobre o fato de as pessoas terem vontade de doar seus órgãos, mas torna-se difícil a conversa com seus familiares sobre o assunto, visto somente a família pode autorizar a doação após a morte da pessoa.

Dentre os motivos para não doar os órgãos, encontramos justificativas como: “quero morrer e ficar com todos os meus órgãos”, “ é uma questão cultural”, ou ainda “ se doar os órgãos na vida após a morte estarei sem estes órgãos”.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A decisão de doar órgãos é simples. Basta comunicar aos familiares deste desejo de salvar outras vidas. Entretanto, ainda existem muitos obstáculos na hora da doação. Muitas famílias ainda rejeitam a doação por dilemas éticos e falta de informação, além do fato de que as pessoas ainda possuem muitas dúvidas quanto ao tema. O número de pessoas que se declaram doadores tem aumentado, mas a quantidade de pessoas a espera de um transplante de órgão é preocupante.

Houve uma boa receptividade pelos pacientes do Posto de Saúde. Acreditamos que mitos foram quebrados e dúvidas esclarecidas. Além disso, cremos que o incentivo ao ato de doar órgãos certamente contribuirá para muitos tomarem essa decisão agora ou futuramente.

 

 

 

© 2011 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode

http://1.gravatar.com/avatar/1ff4f5df57048afd7c6679baac82227d?s=128&d=identicon&r=G