Estudo confirma eficácia do uso do sachê de micronutrientes na alimentação infantil

17/05/2014 20:14

Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição, do Departamento de Atenção Básica/SAS/MS, divulgou, na tarde desta quarta-feira (14), os resultados do Estudo Nacional de Fortificação da Alimentação Complementar (ENFAC).

O Enfac teve como objetivo avaliar efetividade, aceitabilidade e adesão da fortificação caseira com vitaminas e minerais na prevenção de anemia e deficiência de ferro em crianças menores de um ano de idade. Os resultados do estudo subsidiam a incorporação da fortificação da alimentação infantil com micronutrientes em pó como estratégia programática de prevenção da anemia na saúde pública brasileira.

O evento, realizado na Fiocruz Brasília, reuniu representantes de diversas secretarias do Ministério da Saúde e instituições parceiras como UNICEF, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Conass, Conasems e universidades.

A pesquisa

O ENFAC avaliou a efetividade do sachê de micronutrientes, sua adesão por mães e a aceitação por parte das crianças de 6 a 8 meses de idade atendidas em unidades básicas de saúde, público-alvo da pesquisa.

Participaram deste estudo crianças de 6 a 15 meses de idade, residentes em quatro cidades brasileiras (Rio Branco, Olinda, Goiânia e Porto Alegre), atendidas em Unidades Básicas de Saúde (UBS). A efetividade desta estratégia foi avaliada pela comparação do estado nutricional de crianças do chamado grupo intervenção, que receberam sachês de micronutrientes (vitaminas e minerais em pó), e aquelas do grupo controle, atendidas na rotina vigente na rede pública de saúde, ou seja, sem o uso do sachê.

Resultados

  • A prevalência de anemia foi menor nas crianças que utilizaram o sachê de micronutrientes;
  • A Anemia foi 38% menor nas crianças que receberam a fortificação;
  • Nas crianças que usaram o sachê de micronutrientes, a prevalência de deficiência de vitamina A foi 55% menor;
  • A deficiência de ferro no grupo intervenção foi 20% menor quando comparado ao grupo controle;
  • Melhor perfil de saúde foi observado nas crianças do grupo intervenção, com menores frequências de febre e chiado no peito nos últimos 15 dias. A insuficiência de vitamina E foi 60% menor, sugerindo boa adesão ao uso do sachê com alimentação mais diversificada;
 
Reportagem Completa:
 
http://dab.saude.gov.br/portaldab/noticias.php?conteudo=_&cod=1887
 

© 2011 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode

http://1.gravatar.com/avatar/1ff4f5df57048afd7c6679baac82227d?s=128&d=identicon&r=G